Sporting: Jogadores acreditam que "terrorismo" em Alcochete foi "encomenda" de BC

Sporting: Jogadores acreditam que

Num curto comunicado, o Sporting garante que "confia na justiça" e assegura que "prestou e prestará toda a colaboração necessária ao apuramento da verdade".

O clube lisboeta se pronunciou sobre os acontecimentos em sua página no Facebook: "O Sporting Clube de Portugal repudia de forma veemente os acontecimentos registados hoje na Academia Sporting".

"No total, foram detidos 23 suspeitos, apreendidas cinco viaturas ligeiras, vários artigos relacionados com os crimes e recolhidos depoimentos de 36 pessoas, entre jogadores, equipa técnica, funcionários e vigilantes ao serviço do clube", informou a GNR em comunicado.

Na terça-feira, cerca de 50 torcedores invadiram o centro de treinamento e entraram no vestiário para agredir jogadores, entre eles os argentinos Marcos Acuña e Rodrigo Battaglia, e o técnico Jorge Jesus.

De acordo com a nota, os jogadores irão a campo porque a partida "é uma festa do futebol português, um espelho do esporte nacional, na qual estarão em jogo todos os profissionais do futebol, o bom nome de Portugal e a dignidade das instituições do futebol" e também "por respeito aos colegas e aos que amam e vivem o futebol".

A equipa principal do Sporting cumpria o primeiro treino da semana, depois da derrota no terreno do Marítimo (2-1), que relegou a equipa para o terceiro lugar da I Liga, iniciando a preparação para a final da Taça.

"Estou decepcionado pela imagem que Portugal projetou ao mundo. Vexado porque Portugal é uma potência, nomeadamente no futebol profissional, e vexado pela gravidade do que aconteceu", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa em Leiria.

Assim, os vencedores da Taça da Liga só voltarão a reunir-se para trabalhar esta sexta-feira.

ATO CRIMINOSO - Depois de o clube repudiar a violência dos torcedores na última terça-feira, o presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, também falou na noite seguinte ao canal de TV do time, no qual qualificou a atitude deste grupo de vândalos como um "ato criminoso" e prometeu que vai reforçar a segurança nas dependências do clube.

"O MP está a investigar os factos ocorridos em Alcochete", confirmou à agência Lusa fonte oficial da Procuradoria-Geral da República.

Artigos relacionados