RDC regista duas mortes e mais 10 casos suspeitos de ébola

RDC regista duas mortes e mais 10 casos suspeitos de ébola

A República Democrática do Congo confirma a existência de dois casos de infecção pelo vírus do Ébola na cidade de Bikoro, no Noroeste do país, e que há pelo menos mais dez casos suspeitos - segundo afirmou esta terça-feira o responsável pelo Instituto Nacional para a Investigação Biológica daquele país, Jean-Jacques Muyembe.

Este é o novo surto da epidemia de ebola desde a descoberta do vírus em 1976. Oito pessoas foram infetadas nesse surto, quatro das quais morreram.

"O nosso país está a enfrentar outra epidemia do vírus ébola, que representa uma emergência de saúde pública internacional", declarou em comunicado o Ministério da Saúde da República Democrática do Congo.

"Ainda dispomos de recursos humanos bem treinados que puderam controlar rapidamente as epidemias anteriores", acrescentou.

O ébola é um vírus extremamente perigoso e contagioso que provoca febre hemorrágica. De acordo com nota da Organização Mundial da Saúde (OMS), 21 casos de febre hemorrágica - incluindo 17 mortes - foram registrados em Biroko, uma região de floresta equatorial no país, nas últimas cinco semanas.

"Nossa prioridade é chegar a Bikoro para trabalhar ao lado do governo da República Democrática do Congo e parceiros para reduzir a perda de vidas e sofrimentos relacionados a este novo surto da doença pelo vírus Ebola", afirmou Peter Salama, diretor-adjunto da OMS.

Após o último surto de ebola no Congo, as autoridades aprovaram o uso de uma nova vacina em carácter experimental, que não foi aplicada devido a questões logísticas e à pequena proporção do surto.

Na África ocidental, viveu-se há pouco tempo a maior epidemia de Ébola de que há memória, que terminou há dois anos. "Trabalhar com parceiros e responder cedo e de forma coordenada será vital para conter essa doença mortal", completou.

Artigos relacionados