Paulo Macedo diz que o sigilo bancário vai continuar em geral

Paulo Macedo diz que o sigilo bancário vai continuar em geral

"Não iremos aumentar de novo as comissões", afirma.

"A Caixa é o banco que cobra menos comissões no sistema bancário português", afirmou Paulo Macedo.

No mesmo período do ano passado, o banco estatal teve prejuízos de 39 milhões de euros.

Os custos estruturais do grupo caíram 11% para 297 milhões de euros. A Caixa teve custos de 297,5 milhões, mas houve custos não recorrentes (de 58,5 milhões) com o programa de redução de pessoal - mas já havia uma provisão constituída para este efeito, desde 2017. Só nos primeiros três meses do ano saíram do banco público 250 trabalhadores. Paulo Macedo diz que o impacto na CGD será bem menor que isso.

Se vai haver uma alteração, "a Caixa irá cumprir até à exaustão". "Porque se isso acontecer os clientes também vão discriminar a Caixa negativamente".

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) aceita divulgar a lista de devedores se a "legislação for aprovada a Caixa".

Esta semana, num encontro com jornalistas, o presidente da Associação Portuguesa de Bancos (APB) defendeu que o "segredo bancário é um pilar basilar da atividade bancária" e que esse "impede divulgação dos nomes dos devedores, a não ser se houver ilícitos criminais".

Paulo Macedo explica que a medida só será aplicada em contratos que têm spreads até 0,40%, portanto "apenas impactará os melhores clientes".

Os administradores do banco público aproveitaram, também, esta conferência de imprensa para anunciar que foi obtida uma autorização das entidades europeias que pode permitir que a Caixa possa poupar, "em breve", entre 17 milhões e 20 milhões de euros. Isso permitirá evitar pagar juros superiores a 10% como aconteceu na primeira emissão e poupar, assim, entre 3,5 e 4 pontos percentuais em juros.

Artigos relacionados