Operação prende suspeitos de pedofilia em 24 estados e no Distrito Federal

Operação prende suspeitos de pedofilia em 24 estados e no Distrito Federal

Atualmente em sua 2ª edição, a primeira deflagração desta operação ocorreu em outubro de 2017, resultando em 108 prisões, 25 delas somente no Estado de São Paulo, bem como na apreensão de inúmeros equipamentos informáticos e eletrônicos com conteúdos de exploração sexual infantil. Há informações de que pedófilos já foram presos pela Polícia Civil de Goiás.

As investigações tiveram início no mês de março, e foram conduzidas pelos delegados Darlson Macedo e Thaís Galba, da DPCA. A Polícia Federal também está dando apoio logístico.

Segundo a Polícia Civil, muito material foi encontrado nos dispositivos apreendidos, entre fotos e vídeos de pornografia infanto-juvenil.

"Há possibilidade também de os pedófilos terem participado de atos sexuais com crianças e adolescentes". O bando e o arquivo de dados é muito grande e passará por uma perícia. "Esperamos a partir daí ter desdobramentos das pessoas que também compartilhavam junto com as que foram presas", ressalta Joselito.

São empregados na operação 110 policiais civis, dentre delegados, peritos criminais, comissários, agentes e escrivães. Com um deles foram encontradas imagens de crianças no computador.

No Piauí, a ação é coordenada pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente e contra com a participação de policiais do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), da Diretoria de Inteligência da SSP-PI, da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática, da Delegacia da Mulher Sul, Delegacia de Entorpecentes e Delegacia de Meio Ambiente. Conforme o artigo 241-B do ECA é considerado crime, inclusive, o ato de "adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente".

Artigos relacionados