Médicos reimplantam perna ao contrário para facilitar movimento

Pouco antes de fazer sete anos, Amelia Eldred, uma pequena dançarina com grandes sonhos, foi diagnosticada com um tumor na perna esquerda, com dez centímetros.

A garota mora em Tamworth, na Inglaterra e passou por um procedimento raro e complexo, chamado rotoplastia, depois de ter a perna amputada.

Os médicos reimplantaram a parte inferior da perna do lado contrário. Depois, retiram o resto da parte de baixo da perna, rodando-a em 180 graus e reatando-a ao fémur.

"Se olho no espelho, parece estranho (que a perna esteja ao contrário), mas, quando olho para ela (no meu corpo), parece normal", explica Amelia em entrevista à BBC.

"Não sinto como se fosse diferente, mas é diferente quando preciso de me mexer, porque é tudo ao contrário."
"Foi uma decisão de caras, porque esta foi, sem dúvida, a melhor opção para nós", diz a sua mãe, Michelle Eldred. Segundo o The Washington Post, quando o tumor não reagiu à quimioterapia, os médicos disseram aos pais que teriam de amputar a perna.

Amelia tem um osteossarcoma, o tipo de cancro mais comum nas crianças, que tipicamente afeta o fémur e a tíbia ou o úmero, mas que quando tratado cedo tem uma taxa de sobrevivência entre 70 a 75%. Mas a sua nova perna faz com que a menina se mantenha otimista. "Agora, somos melhores amigas".

Artigos relacionados