Inflação acelera para 0,22% com remédio e plano de saúde mais caros

Inflação acelera para 0,22% com remédio e plano de saúde mais caros

A inflação no Brasil foi de 0,22% em abril, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (10).

Entre os nove grupos de produtos e serviços pesquisados, sete apresentaram aumento nos preços, com destaque para saúde e cuidados, que teve variação positiva de 0,91%. No acumulado do ano, a inflação soma 0,92%, o menor desde o início do Plano Real.

O acumulado dos últimos 12 meses está em 2,76%, também uma aceleração em relação aos 2,68% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

Depois de saúde e cuidados pessoais, os grupos que registraram os maiores aumentos de preços foram vestuário (0,62%) e artigos de residência (0,22%). Transportes, com variação de 0,00%, mostrou, na média, estabilidade nos preços de março para abril. Pesaram para o custo da alimentação no domicílio os aumentos da cebola (19,55%), hortaliças (6,46%), leite longa vida (4,94%) e frutas (2,95%). Para cálculo do índice do mês foram comparados os preços coletados no período de 30 de março a 27 de abril de 2018 (referência) com os preços vigentes no período de 02 de março a 29 de março de 2018 (base).

"A troca de coleção influenciou principalmente as roupas femininas, que ficaram, em média, 1,66% mais caras", diz a nota do gerente do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), Fernando Gonçalves.

Em abril de 2017, a alta dos preços foi de 0,14%.

A medição é 0,13 ponto percentual acima do resultado de março e 0,8 ponto percentual a mais do que em abril do ano passado. Outro grupo que se destacou foi o de alimentos, que registrou aumento de 0,09% no mês passado.

Em termos regionais, Goiânia (0,27%) teve queda e Campo Grande (0,72%) alta.

Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters.

Artigos relacionados