Flu perde para o Nacional Potosí, mas avança na Sul-Americana

Flu perde para o Nacional Potosí, mas avança na Sul-Americana

Na partida de ida, no Maracanã, o Fluminense sofreu com a catimba dos bolivianos, mas ainda assim venceu por 3 a 0, uma vantagem que não chega a ser confortável, de acordo com o técnico Abel Braga.

O Fluminense agora aguarda sorteio para saber quem será o seu adversário na segunda fase da competição continental. Os jogos serão realizados apenas no final de julho, depois da Copa do Mundo na Rússia.

Logo na volta da segunda etapa, o Fluminense se complicou demais. Minutos antes do apito inicial, mais problemas. Após a classificação sofrida, o técnico Abel Braga criticou bastante a organização para a realização do jogo, afirmando que nunca havia vivenciado situação parecida nos 50 anos em que trabalha com o futebol.

Pelo lado do Nacional, a estratégia é impor um ritmo forte no começo do jogo, explorando a provável dificuldade que o Fluminense vai encontrar de lidar com a altitude. Ao Nacional de Potosí resta devolver o 3 a 0 e forçar a disputa de pênaltis ou golear por quatro ou mais gols de vantagem para avançar diretamente, uma vez que os tentos anotados como visitante valem para critério de desempate. Agora podem perder por até dois gols de diferença que vão se classificar.

Romero, Torrico, Montenegro (Velasco - 38'/2ºT) e Pécora; Torrez, Salazar, Pérez (Quiroga - 38'/2ºT), Paniagua, Meza; Reina e Piñero da Silva (Gallegos - 28'/2ºT). O zagueiro Gum e o lateral-esquerdo Ayrton Lucas, preservados diante do Vitória por conta de incômodo muscular, retornam, respectivamente, nas vagas de Nathan e Marlon.

Logo aos cinco minutos do segundo tempo, o time da casa conseguiu o que queria. A logística montada também indicava o plano de viajar para Potosí apenas horas antes da partida no estádio Victor Augustín Ugarte, em programação que visava reduzir os efeitos que a altitude de 4.067 metros acima do nível do mar imporá aos seus atletas na cidade do confronto.

Artigos relacionados