Ebola matou 19 pessoas na República do Congo

Ebola matou 19 pessoas na República do Congo

A Organização das Nações Unidas (ONU) começou nesta segunda-feira (14) a enviar à República Democrática do Congo (RDC) equipes de especialistas na tentativa de combater o surto de ebola no país.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recebeu 4.000 doses de uma vacina experimental para Ebola e deve usar o imunizante no país, disse o diretor da OMS para a África, Matshidiso Moeti, por telefone à Reuters no domingo.

A OMS divulgou nota de alerta na última sexta-feira (11), onde afirma que o risco de propagação do vírus Ebola na República do Congo é alto.

Tedros Adhanom se reuniu ontem à noite em Kinshasa com o ministro da Saúde congolês, Oly Ilunga, para conhecer a situação na região depois que este último a visitou durante o dia de ontem.

- Temos o assentimento, o registro, mais a permissão de importação; tudo já aceito formalmente - disse Tedros aos repórteres.

A vacina, desenvolvida pela Merck em 2016, se mostrou segura e eficaz em testes com humanos; mas ainda é experimental por ainda não ter uma licença. A necessidade de mantê-la a temperaturas em torno de 60 e 80°C negativos torna a logística um desafio.

Testada na Guiné em 2015, ao final de um grande surto de ebola na África Ocidental; a vacina foi projetada para ser usada com a chamada abordagem da "vacinação em anel". A entidade diz ainda que monitora outras 393 pessoas que tiveram contato com os infectados no país.

É o nono surto de ebola que atinge a República Democrática do Congo desde a descoberta do vírus no país em 1976, quando ainda se chamava Zaire.

Artigos relacionados