Delegado da PF foi morto por facção, diz governo

Delegado da PF foi morto por facção, diz governo

Já o terceiro envolvido identificado pela polícia como Davi Costa Martins teve prisão preventiva decretada e está sendo procurado pela polícia.

Dos três envolvidos no crime, apenas um continua foragido. A vítima teria travado uma luta corporal com os criminosos e terminou esfaqueada no abdômen, e ainda foi alvejada com tiros de arma de fogo. Segundo a Polícia Civil do Maranhão, os três eram membros de uma facção criminosa atuante na Região Metropolitana de São Luís.

A Polícia Civil informou ainda que Wanderson de Morais Baldez deveria estar sendo monitorado por meio de uma tornozeleira eletrônica já que responde por outro crime que não foi informado. Diversas testemunhas, entre familiares e amigos, também já prestaram depoimento na SHPP e pessoas que estavam no momento do crime ainda serão ouvidas ao longo do dia. Em seguida, os bandidos observaram que havia movimentação no interior da casa e, mesmo assim, decidiram invadir, anunciando o assalto. Ele foi atingido por três disparos e algumas facadas.

David Aragão foi morto por três homens que invadiram sua casa de veraneio, localizada na Praia do Meio, município de São José de Ribamar, a 32 quilômetros da capital do estado.

Davi foi assassinado na noite de sábado (5) na festa de aniversário da sua filha de cinco anos.

David Aragão, de 36 anos, estava há mais de 12 anos na Polícia Federal e comandava a Delegacia de Repressão aos Crimes Fazendários.

O delegado da Homicídios e Proteção à Pessoa, Jefrey Furtado, disse ao G1 que o adolescente confessou o crime à polícia. A Superintendência da Polícia Federal do Maranhão decretou luto de três dias. "A Polícia Federal continuará envidando todos os esforços possíveis para colaborar na elucidação dos fatos e prisão dos criminosos, solidarizando-se com familiares, amigos e colegas de trabalho, lamentando profundamente o triste episódio que retirou, de forma precoce, a vida do policial que deixará imensa saudade no nosso convívio", diz o comunicado.

Em nota, a Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF) também lamentou a morte do delegado Davi Farias Aragão e afirmou que ele é mais uma vítima da violência que aflige a sociedade brasileira em que os profissionais de segurança vem se tornando alvos preferenciais.

Delegado da Polícia Federal Davi de Farias Aragão é sepultado em São Luís.

Artigos relacionados