De fevereiro para março, comércio varejista teve crescimento de 0,3%

De fevereiro para março, comércio varejista teve crescimento de 0,3%

Na série sem ajuste sazonal, o comércio varejista cresceu 6,5% em relação a março de 2017, o maior resultado desde abril de 2014 (6,7%). Com isso, o varejo acumulou altas de 3,8% no ano e de 3,7% nos últimos 12 meses, mantendo a recuperação em curso desde outubro de 2016. De acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira, 11, no acumulado do trimestre, contudo, houve um avanço de 0,8%. O setor automotivo também se destacou, com avanço de 16,0% na comparação com o mesmo mês de 2017, seguido por hiper e supermercados, cuja alta (+12,3%) foi a maior entre todos os meses desde março de 2012 (+12,4%).

Os economistas avaliam que, assim como a atividade em geral, o varejo mostrou desempenho aquém do esperado pelo mercado no primeiro trimestre do ano.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região.

Ainda com crescimento, encontram-se: artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (1,1%), tecidos, vestuário e calçados e outros artigos de uso pessoal e doméstico (ambos com 0,7%), enquanto o setor de móveis e eletrodomésticos (0,1%) praticamente repete o patamar de vendas de fevereiro 2018.

O setor de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-1,1%), intensificou em março a queda observada em fevereiro (-0,7%), acumulando nesses dois meses uma perda de 1,8%, após avançar 2,1% em janeiro. Em fevereiro, nesta base de comparação, a alta era de 83%.

As vendas de equipamentos de informática e de comunicação caíram 5% em março em relação ao mês anterior.

Artigos relacionados