Concessionária do Aeroporto de Viracopos pede recuperação judicial

Concessionária do Aeroporto de Viracopos pede recuperação judicial

Concedido à iniciativa privada em 2012 no auge da euforia econômica, Viracopos é o primeiro aeroporto privado a recorrer à recuperação judicial no país.

As ações da Triunfo Participações e Investimentos começaram a semana em queda, após o anúncio do pedido de recuperação judicial do Aeroporto Internacional de Viracopos. É o 6º maior aeroporto do Brasil em número de passageiros e o 2º em volume de cargas. O processo foi protocolado no foro de Campinas, sede do aeroporto. A intenção é suspender temporariamente a execução de garantias de dívidas. Além disso, os sócios privados são a Triunfo e a construtora UTC, que juntas contam com 51% da empresa, e a Infraero, responsável por 49%. Apesar de inaugurar um grande terminal de passageiros, atualmente a estrutura está subutilizada, visto que um píer está desativado no momento, apesar do grande movimento de aeronaves do aeroporto.

"A recuperação judicial tem por objetivo viabilizar a superação da situação de crise econômico-financeira do devedor, a fim de permitir a manutenção da fonte produtora, do emprego dos trabalhadores e dos interesses dos credores, promovendo, assim, a preservação da empresa, sua função social e o estímulo à atividade econômica", diz a nota da Aeroportos Brasil.

"Não obstante os incessantes esforços de seus administradores, a situação financeira das sociedades agravou-se de forma substancial nos últimos dias, levando à decisão por parte dos acionistas do ajuizamento do pedido de recuperação judicial", afirma a nota. Alega ainda que investiu, desde fevereiro de 2013, mais de R$ 3 bilhões em obras de infraestrutura e melhoria do serviço, em atendimento às etapas do contrato de concessão. Viracopos opera 1,1 mil voos semanais para mais de 50 localidades no Brasil e 25 voos internacionais semanais para três localidades.

Artigos relacionados