Assistência inicia mobilização de enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes

Assistência inicia mobilização de enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes

Após a denúncia e o processo de perícia e acompanhamento médico, a criança ou adolescente e sua família são acompanhados pelo Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas), que presta acompanhamento psicossocial, no âmbito da assistência social.

Estão previstas ainda ações na Feira Noturna de quarta-feira (16), a partir das 18h, com panfletagem e apresentações culturais.

As campanhas serão realizadas pelas equipes que integram a Secretaria Municipal de Assistência Social, do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescentes (CMDCA), Centro de Referência da Assistência Social e do Conselho Tutelar. A proposição do evento, que será realizado no plenário principal, é do deputado Herculano Borges (SD), autor da Lei Estadual 5.118, de 26 de dezembro de 2017, que institui o mês Maio Laranja de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e dos adolescentes.

A semana foi criada com o objetivo de mobilizar a sociedade brasileira e convocá-la para o engajamento contra a violação dos direitos sexuais de crianças e adolescentes. Como resultado dessa iniciativa e da articulação com outros órgãos, neste biênio foram resgatadas 121 crianças e adolescentes de situação de vulnerabilidade.

"Para isso, no decorrer deste ano, assim como fizemos no ano passado, estaremos fortalecendo mais ainda as ações de fortalecimento de vínculos sociais e familiares nas nossas unidades de Assistência Social", ressaltou Vera Helena.

A exploração sexual de crianças e adolescentes não é um problema exclusivo do Brasil. "Notamos que com a maior identificação e atuação nos pontos vulneráveis, aliando a repressão com campanhas preventivas e educativas incentivando o uso do Disque 100, houve a 'interiorização' dos ambientes suscetíveis à exploração que agora estão se instalando em rodovias estaduais e isso traz uma urgência para a transferência da metodologia do Mapear às Polícias Rodoviárias dos Estados mais críticos", disse a gerente de Programas e Relações Empresariais da Childhood Brasil, Eva Dengler, por meio de nota enviada pela assessoria de imprensa. "Em 2018, até abril, já ocorreram 22 casos e sete deles são de crianças de 0 a 6 anos de idade", informou a advogada coordenadora do CREAS.

"O Governo tem uma preocupação constante em desenvolver ações e defender crianças e adolescentes. Parabéns e que a semente do bem se espalhe por todos os lugares, para que nossas crianças crescem com carinho, educação, saúde e dignidade", concluiu o prefeito de Três Lagoas.

Artigos relacionados