Às 17h31, TRF-4 comunicou a Moro determinação para prisão de Lula

Às 17h31, TRF-4 comunicou a Moro determinação para prisão de Lula

"Todos e todas às ruas do Brasil para organizar ações nas estradas, ruas, escolas, locais de trabalho, atos, panfletagens para defender a liberdade de Lula!", diz texto da manifestação. A defesa do ex-presidente tem até a próxima terça-feira (10) para recorrer dos embargos de declaração, recurso que não prevê alteração da sentença. Considerou-o um "absurdo" e acusou o juiz Sérgio Moro "de sonhar" com a sua detenção.

Petistas estão se organizando para o ex-presidente Lula passar a noite em vigília com os sindicalistas no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. O petista tem o prazo de até hoje, às 17h, para se apresentar à sede da Polícia Federal.

O argumento é que o TRF-4, de Porto Alegre, antecipou a execução da pena ao determiná-la antes da publicação do acórdão do julgamento dos embargos apresentados pelos advogados.

Em julho de 2017, o juiz condenou Lula a nove anos e seis meses de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex no Guarujá (SP).

Como mostrou a Folha de S.Paulo, o diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Galloro, escalou emissários para negociar com o PT os termos para a prisão do ex-presidente.

O criminalista José Roberto Batochio, defensor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), afirmou nesta quinta-feira, que o pedido de prisão do petista decretado pelo juiz Sérgio Moro foi "a mais rematada expressão do arbítrio no século 21".

O Partido Ecológico Nacional, autor de uma das ações que questionam a possibilidade de prisão em segunda instância, requisitou ao ministro-relator da proposta Marco Aurélio Mello que suspenda com uma liminar o cumprimento antecipado de pena e leve sua decisão para análise do plenário do Supremo. No espaço, Lula ficará separado dos demais presos, sem risco para sua integridade moral ou física.

Artigos relacionados