'Prisão é sonho de consumo de Moro', diz Lula a jornalista

'Prisão é sonho de consumo de Moro', diz Lula a jornalista

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) negou os embargos de declaração, recurso apresentado pela defesa.

A família de Lula, assim como seus advogados, poderá levar alimentos e itens de higiene para o petista. O juiz destacou o cargo que o ex-presidente ocupou. Lula quer que as pessoas se mobilizem, mas não estimula nenhuma reação violenta para impedir que ele seja preso.

Como mostrou a Folha de S.Paulo, o diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Galloro, escalou emissários para negociar com o PT os termos para a prisão do ex-presidente.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira (5) que sua prisão é um "sonho de consumo" do juiz Sérgio Moro. "Não desanimem, estamos num processo como se fosse um longo campeonato", disse, comparando a disputa política com um jogo de futebol. Lula ainda não discursou aos manifestantes que o acompanham. Ele convocou ainda atos nas capitais.

Em julho do ano passado, o juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância, condenou Lula a nove anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, mas o ex-presidente ganhou o direito a aguardar a prisão em liberdade. Pré-candidata do PCdoB à Presidência, Manuela disse que esta será "uma decisão exclusivamente de Lula". Ele convocou a militância para se reunir em São Bernardo do Campo, cidade do petista.

Em sessão iniciada na quarta-feira (4) e encerrada na madrugada de quinta, o STF (Supremo Tribunal Federal) rejeitou por seis votos a cinco um habeas corpus preventivo interposto pela defesa do ex-presidente, abrindo caminho para a prisão.

Ele não quis comentar a possibilidade de o ex-presidente não se entregar à Polícia Federal, como tem sido aventada por alguns petistas.

Artigos relacionados