Marfrig compra fatia da americana National Beef

Marfrig compra fatia da americana National Beef

Martin Secco Arias, Chief Executive Officer of Marfrig Global Foods SA, poses for a photograph after attending a news conference in Sao Paulo, Brazil April 9, 2018.

Com a operação, a Marfrig passará a ser "a segunda maior processadora de carne bovina do mundo, com uma plataforma global de produção e um faturamento consolidado de R$ 43 bilhões", disse a empresa brasileira, em comunicado. Os papéis eram negociados na casa dos 7 reais. O Ibovespa encerrou em queda de 1,8 por cento e as ações da JBS tiveram baixa de 1,2 por cento.

Quer investir melhor o seu dinheiro?

"É mais da mesma tendência destas companhias em promoverem processos de consolidação e do apetite de empresas do Brasil para se diversificarem nos EUA", disse Altin Kao, analista na Steiner Consulting Group.

Com a aquisição da National Beef, a Marfrig alcança dois objetivos traçados em seu plano estratégico.

A Marfrig anunciou nesta segunda-feira que fechou acordo para comprar 51 por cento da National Beef em um negócio de 969 milhões de dólares.

A aquisição não estava no radar de analistas das instituições financeiras, já que se imaginava que a Marfrig estivesse focada apenas na venda da Keystone, que tem contado com a ajuda do JP Morgan. O grupo tem capacidade de abate de 12 mil cabeças de gado ao dia e é sediado em Kansas City, no Estado do Missouri. A National Beef pode exportar para cerca de 40 países, incluindo mercados fechados para a carne brasileiro, como Japão e Coreia do Sul.

Os resultados da National Beef serão consolidados pela Marfrig, reduzindo o nível de alavancagem da empresa brasileira para 3,35 vezes o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda), ante 4,55 vezes no fim do ano passado, disse a Marfrig. A transação será integralmente financiada por um empréstimo do banco Rabobank.

Trajetória. Fundada em 1992, a National Beef faturou R$ 24,3 bilhões no ano passado. Após a conclusão da operação, a Leucadia transferirá o controle acionário para a Marfrig e se manterá como acionista minoritário da empresa, com uma fatia de 31% do capital total. A US Premium Beef, associação de produtores americanos, ficará com 15% e outros acionistas com os 3% restantes. O conselho de administração da National Beef será composto por nove membros, dos quais cinco serão indicados pela Marfrig, dois pela Leucadia e dois por outros acionistas minoritários.

Segundo comunicado à imprensa, os principais executivos da National Beef permanecerão na Companhia, que segue sob a gestão de Tim Klein, atual CEO e presidente. Caso a venda ocorra, a Marfrig estima reduzir sua alavancagem para 2,5 vezes o Ebitda.

A Marfrig disse que espera concluir a aquisição da National Beef até o fim do primeiro semestre deste ano.

Artigos relacionados