Manifestantes atacam prédio da presidente do STF

Manifestantes atacam prédio da presidente do STF

Militantes do PT jogaram tinta vermelha na parte externa do apartamento que Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal, mantém em Belo Horizonte, informa a Veja.

Imagens mostram que a fachada do edifício foi pintada de vermelho, com bombas de tinta.

A ministra, que mora em Brasília, não estava no prédio. Os dois movimentos compartilharam registros do protesto em suas páginas no Facebook. Cármen Lúcia deu o voto do desempate.

Ele conta que o ataque foi feito por cerca de 10 a 15 pessoas, que chegaram em três ônibus.

O juiz federal Sérgio Moro determinou que Lula se entregasse à Polícia Federal em Curitiba até as 17h desta quinta-feira, mas, até o momento, o ex-presidente permanece no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. A reportagem acionou a assessoria de comunicação do STF, que ainda não se pronunciou sobre a manifestação. "Foram atiradas bombas de tintas e feitas pichações nos muros e calçadas do prédio onde a golpista reside numa cobertura", diz a publicação.

A diretora do MST Miriam Muniz disse que o grupo não vai "dar descanso" para essa "corja". "Vimos essa semana que o Supremo é tão golpista quanto o Temer", disse.

Em seguida, integrantes do movimento participaram de ato contra a prisão do ex-presidente Lula na Praça Sete, Região Central, da cidade.

Artigos relacionados