Justiça alemã decide a partir de hoje eventual extradição de Puigdemont

Justiça alemã decide a partir de hoje eventual extradição de Puigdemont

"A acusação de rebelião contempla essencialmente a realização de um referendo inconstitucional quando se esperavam confrontos violentos", escreveu o Ministério Público alemão no pedido que apresentou ao tribunal de extradição de Carles Puigdemont para Espanha.

De acordo com o El País, os procuradores alemães consideram que o caso de Puigdemont é uma questão estritamente legal e que o conflito catalão diz respeito apenas a Espanha, devendo ser resolvido internamente de acordo com as leis e Constituição espanhola.

O procurador da região de Schleswig Holstein, onde Puigdemont está detido desde o dia 25 de março, indicou que as acusações de rebelião e de desvio de fundos, apresentadas pela Justiça espanhola contra o líder separatista, são reconhecidas pelo direito alemão, o que abre caminho para a extradição.

O tribunal de primeira instância dessa localidade decidiu que o político deveria permanecer na prisão enquanto o caso é avaliado, por considerar que existe perigo de fuga.

O ex-presidente do Governo Regional da Catalunha cedeu o controlo dos perfis nas redes sociais mas o Twitter foi usado para recordar que passaram seis meses desde que se realizou o referendo à autodeterminação, a 1 de outubro, que os presos políticos estão livres de espírito e que essa data marcou o início de uma nova era.

Promotores públicos em Schleswig, uma cidade no norte da Alemanha, enviaram a petição ao tribunal regional após uma "revisão intensiva" do mandado de captura europeu emitido pelas autoridades espanholas.

"O trato foi sempre correto".

O político teria viajado, nesse fim de semana, para a Finlândia, para fazer contactos com deputados finlandeses e dar uma conferência na Universidade de Helsínquia.

Artigos relacionados