Jungmann atribui execução de Marielle à atuação das milícias

Jungmann atribui execução de Marielle à atuação das milícias

"Estão praticamente com uma ou duas pistas praticamente fechadas".

O ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou, em entrevista ao Jornal da CBN, que a Polícia Civil do Rio vê a atuação de milicianos como a principal hipótese para a execução da vereadora do PSOL Marielle Franco e do motorista dela, Anderson Gomes. Eu diria que, hoje, apenas uma delas e os investigadores têm caminhado bastante adiante.

"As investigações avançam e eles (investigadores), partindo de uma grande quantidade de hipóteses, tem afunilado, e uma das possibilidades que tem crescido é que tenha sido um crime ligado a milícias", disse Jungmann a jornalistas, após um encontro com o general Richard Nunes, secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro. Ele também lembrou que os casos do sumiço do pedreiro Amarildo, em 2013, e da execução da juíza Patrícia Acioli, em 2011, levaram mais de um mês para serem solucionados. O encontro, que começou por volta das 14h15, tem como objetivo expor o andamento das investigações sobre a morte da parlamentar e do motorista Anderson Gomes.

Jungmann comentou também que Marielle vinha sendo um elo de ligação entre o atual chefe da Polícia Civil do Rio, Rivaldo Barbosa, e o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) - a vereadora auxiliou Freixo durante a CPI das Milícias, em 2008.

Segundo Julgmann, várias frentes de atuação foram exploradas pela polícia, mas durante as investigações, a principal suspeita, devido a informações e depoimentos, apontam as principais suspeitas sobre milícias do Rio de Janeiro.

No último sábado (13), a morte de Marielle e Anderson completou 30 dias. Criminosos em um carro emparelharam ao lado do veículo onde estava a vereadora e dispararam.

A vereadora foi atingida por quatro tiros na cabeça.

Oito equipes compõem a frente que investiga o caso, que tem sofrido pressão da sociedade em da imprensa para que seja desvendado os reais motivos para o crime [VIDEO].

Artigos relacionados