José Couceiro: "Existe pressão para os dois lados"

José Couceiro:

Isso é que nos guia. "A nossa mensagem e o trabalho feito durante a semana foi sobre a forma de poder ultrapassar o Benfica", sublinhou. Não muda em nada do que temos vindo a dizer: "amanhã há três pontos em disputa e queremos ganhar", vincou.

Jogar com o Benfica é sempre especial para quem o enfrenta pelo contexto e pelo mediatismo. O técnico tem noção desse aspeto e aproveitou para tecer rasgados elogios ao opositor. Há um mediatismo à volta dele.

"O Benfica está a jogar para o título, está com um ponto acima do segundo classificado e vai querer não perder essa vantagem". Há um envolvimento, há mais público e maior atenção sobre as equipas. Vem de um bom resultado e com mais três ou quatro pontos poderá ter a situação da manutenção resolvida.

Salvio tem condições para jogar os 90 minutos?: "Isso é uma verdade de La Palisse". Aliás, todos os pontos são difíceis de conquistar. "Vamos com muita vontade de ganhar", disse. Sabemos do momento e da força do Benfica, mas acima de tudo temos de estar preocupados connosco, em saber aquilo que nós temos de fazer, como temos de fazer, com que intensidade temos de fazer. Vencer jogo a jogo é o foco e os próximos três pontos a alcançar é junto ao Sado.

Estado anímico: "Eu não gosto muito de psicologias bacocas". Temos a perfeita noção da classificação. As rotinas e a forma de trabalhar foi com a mesma base, com um adversário diferente, pois o que muda é o 'S' pelo 'F'. No futebol, nunca sabemos qual é o jogo mais importante do campeonato.

Luta a dois ou a quatro pelo título?: "Eu preocupo-me muito com a minha equipa". É importante, porque estamos a competir pelo nosso objetivo. A vida dá tanta volta. Para mim, as equipas que estão em possibilidades matemáticas de chegar ao nosso lugar podem fazê-lo.

"Tínhamos de ganhar e tínhamos, e agora temos de ganhar e temos". É isto! Há seis jogos pela frente, o V. Setúbal é o próximo e temos de ganhar este e o outro a seguir, e por aí sucessivamente. Nós já estivemos atrás e agora estamos à frente, os outros já estiveram à frente e agora não. Qual é o nosso foco?

Quando questionado sobre que estratégia ia adotar, depois de o Vitória FC ter sido goleado por 6-0 no encontro da primeira volta, na Luz, José Couceiro considerou que este jogo "não tem nada a ver" com o de 26 de novembro e lembrou que pelo meio as duas equipas até já empataram 2-2 no Bonfim para a Taça da Liga. Olho para a classificação e vejo que todas as equipas que têm matematicamente possibilidade estão ali. Qualquer jogador que vá para o banco é porque eu penso que tem condições para estar entre nós.

Artigos relacionados