Fisco espanhol baixa valor da fraude se Ronaldo se declarar culpado

O jornal El Mundo noticia esta manhã que o Fisco espanhol está a preparar um acordo com Cristiano Ronaldo para resolver o conflito que opõe o craque à Autoridade Tributária de Espanha.

Os assessores fiscais de Cristiano Ronaldo estão a ser interrogados no âmbito da acusação de fraude fiscal que o jogador enfrenta por não ter declarado os rendimentos dos direitos de imagem.

Para que isto aconteça, o internacional português teria de se declarar culpado, aceitar uma pena de prisão menor e pagar 10 milhões de euros. Os conselheiros do jogador português foram chamados pela magistrada Mónica Gómez Ferrer que, escreve o espanhol AS, está prestes a terminar a investigação sobre crimes de fraude fiscal atribuídos ao futebolista.

De acordo com o El Mundo, neste momento está em cima da mesa a possibilidade de o Tesouro espanhol retirar um dos quatro crimes imputados a Ronaldo - sobre a acusação relativa ao ano de 2014, em que o jogador regularizou de forma voluntária, 5,6 milhões de euros -, absolvendo os seus conselheiros fiscais.

Recorde-se que o fisco espanhol acusa Cristiano Ronaldo de quatro presumíveis delitos fiscais, no valor de 14,76 milhões de euros, alegadamente cometidos entre 2011 e 2014. O jornal cita fontes próximas do fisco e diz que o acordo tem estado a ser negociado nas últimas semanas. No total, o pagamento superaria os 100 milhões de euros, sem contar com pena de prisão. Algo que o jogador negou quando foi ouvido em tribunal.

Artigos relacionados