Dallagnol anuncia "jejum" em torcida por prisão de Lula

Dallagnol anuncia

Mês passado, o STF adiou o julgamento do habeas corpus para esta semana, embora tenha concedido ao ex-presidente uma liminar para aguardar o resultado em liberdade.

Com a proximidade do dia do julgamento que poderá decidir o futuro de Lula, nesta quarta-feira (4), o procurador Deltan Dallagnol, usou as rede sociais para dizer que está em " jejum e oração" pelo fim da corrupção.

Vale ressaltar que a Suprema Corte brasileira é comandada atualmente, pela ministra Cármen Lúcia, até meados do mês de setembro, quando o Poder Judiciário deverá ser conduzido pelo ministro José Antonio Dias Toffoli. Eles são favoráveis ao entendimento atual de prisão após condenação sem segunda instância.

O TRF4 negou os embargos de declaração do ex-presidente, mas como o STF ainda precisa julgar o mérito do habeas corpus, a situação de Lula foi congelada.

Além de falar sobre jejum e oração, Dallagnol mobilizou os seus seguidores para assinarem um abaixo-assinado, dizendo que o "momento é grave e importante".

Dallagnol afirma que o julgamento, marcado para o dia 4 de abril, é o "dia D da luta contra a corrupção" e que, caso Lula não seja preso, "significará que a maior parte dos corruptos de diferentes partidos, por todo país, jamais serão responsabilizados". As apostas estão colocadas para que o Supremo Tribunal Federal rejeite finalmente o habeas corpus preventivo impetrado pela defesa do ex-presidente Lula.

Artigos relacionados