Conab prevê segunda maior safra, mesmo com queda

Conab prevê segunda maior safra, mesmo com queda

Os números estão no 7º Levantamento da Safra de Grãos 2017/2018, divulgado hoje (10) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

A colheita de grãos da safra 2017/2018 deverá ser a segunda maior do país, com uma produção de 229,5 milhões de toneladas. Já o milho segunda safra, com a redução de 562,6 mil hectares em relação à safra passada, resulta em estimativa de produção de 63,02 milhões de toneladas, retração de 6,5% em relação à safra anterior.

A produtividade recorde da safra passada foi beneficiada por um excelente clima, o que não se repetiu agora, mesmo com a situação climática considerada boa na maioria das regiões produtoras. A leguminosa deve alcançar 114,9 milhões de toneladas.

Se confirmada a estimativa, o Brasil deverá colher uma safra recorde.

A reversão de expectativas também tem sido reportada por consultorias do mercado, com algumas apostando em uma safra de soja bem próxima da dos Estados Unidos, líder mundial na produção da commodity.

Apesar do decréscimo, o número é ainda bastante elevado: 3,492 milhões de t superior ao levantamento anterior, de março. Há uma expectativa de diminuição de safra de 9,4% em relação ao ciclo anterior, que chegou a 97,8 milhões de toneladas. As três safras anuais de feijão devem render um total de 3,37 milhões de t, leve queda de 0,9% em comparação com a safra 2016/17, que foi de 3,40 milhões de t.

Área de plantio - Conforme a Conab, as culturas de soja e milho primeira safra estão em fase final de colheita. A área estimada sinaliza um aumento de 0,8% comparado ao período anterior, atingindo 61,38 milhões de hectares, aumento de 0,8% ante 2016/17.

Na ordem crescente de ganho absoluto da área plantada, vem primeiro a soja com 1,2 milhão de hectares, em seguida o algodão (205,6 mil ha) e o feijão segunda safra (115,4 mil ha), com destaque para a espécie caupi. Outros destaques em relação à área foram o milho segunda safra (total de 11,5 milhões de ha), o milho primeira safra (5 milhões), o feijão segunda safra (1,5 milhão) e o algodão (1,1 milhão).

A Conab elevou sua estimativa de produção total de milho para 88,61 milhões de toneladas, ante 87,3 milhões em março, mas ainda aquém das quase 100 milhões do ano passado.

Rio de Janeiro - A previsão de março do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),.

Artigos relacionados