Vendas em hipermercados puxam alta de 0,9% do comércio em janeiro

Vendas em hipermercados puxam alta de 0,9% do comércio em janeiro

Os números mais expressivos aparecem na comparação de janeiro deste ano com o mesmo mês no ano passado: alta de 3,2%, com destaque para vendas em supermercados (alta de 6,7%) móveis (17,9%) eletrodomésticos (22%) veículos (18,2%) e material de construção (7,3%).

Conforme a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), do IBGE, a qual consulta estabelecimentos que tenham, no mínimo, 20 pessoas ocupadas, o volume de vendas do varejo restrito brasileiro registrou variação de 0,9% entre dezembro de 2017 e janeiro 2018 (na série com ajuste sazonal).

Já no acumulado de 12 meses, o comércio cresceu 2,5%, maior alta desde novembro de 2014, quando houve alta de 2,6%.

Os demais avanços ocorreram em Móveis e eletrodomésticos (5,3%); Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (5,4%); Tecidos, vestuário e calçados (0,2%) e Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (4,2%). No trimestre encerrado em janeiro, a média móvel registrou alta de 0,1%.

"Os fundamentos continuam mostrando recuperação e o varejo deve continuar a retomada gradual ao longo de 2018", diz Isabela, citando o crescimento da ocupação no mercado de trabalho e o aumento das concessões de crédito.

No Varejo Ampliado, que inclui as atividades veículos, motos, partes e peças, e material de construção, na comparação interanual, houve alta de 6,5% no Brasil (BR) e de 9,1% no estado gaúcho. Em relação ao último mês de 2017, seis de dez atividades no varejo brasileiro registraram aumento das vendas. Essa é a oitava taxa negativa consecutiva. Com isso, o indicador acumulado nos últimos 12 meses ainda permanece mostrando recuo (-3,1%), mas em trajetória ascendente desde fevereiro de 2017 (-8,9%).

Apesar de o IBGE registrar alta nas vendas do varejo em 19 dos 27 estados do país, algumas unidades da região Norte ganharam destaque em janeiro.

Artigos relacionados