Trump bloqueia negócio Broadcom-Qualcomm

Trump bloqueia negócio Broadcom-Qualcomm

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump vetou nesta segunda-feira (12) a aquisição da Qualcomm pela Broadcom. "Na ausência de informações que alterem a avaliação da CFIUS sobre os riscos de segurança nacional colocados por esta transação, a CFIUS consideraria levar adiante as ações, incluindo, mas não limitado a, referir a transação ao presidente para decisão".

"A Broadcom discorda veementemente de que sua proposta de aquisição da Qualcomm levante qualquer preocupação de segurança nacional", disse a empresa em um comunicado à imprensa.

O documento ainda afirma que o comprador e a Qualcomm devem abandonar imediata e permanentemente a aquisição proposta.

Segundo a Bloomberg, a Broadcom tinha planos de mudar sua sede para os Estados Unidos, em um processo que deveria ser concluído até o dia 3 de abril.

A Broadcom alegou, em nota, que a mudança da sede para os Estados Unidos já estava prevista e não está ligada à compra da Qualcomm.

A medida faria com que o CFIUS não pudesse regular a compra, já que a Broadcom passaria a ser norte-americana. A medida reforça o compromisso de Trump de proteger as companhias estadunidenses de investidas estrangeiras, especialmente aquelas vindas da China (vale lembrar, entretanto, que a Broadcom é uma companhia de Singapura). "A Qualcomm deve realizar a reunião anual de acionistas no prazo de 10 dias após a notificação por escrito da reunião fornecida aos acionistas de acordo com a Lei da Companhia Geral de Delaware e esse aviso deve ser fornecido o mais cedo possível", diz Trump na ordem. A OPA colocaria o maior fabricante norte-americano de microchips para telemóveis nas mãos de uma empresa sediada na Ásia.

Artigos relacionados