Pesquisa: 79% dos brasileiros dizem ser importante candidato acreditar em Deus

Pesquisa: 79% dos brasileiros dizem ser importante candidato acreditar em Deus

Quanto menor a renda familiar dos eleitores, maior o percentual de concordância de que eles preferem votar em candidatos de família pobre. Mas somente 29% das pessoas disseram considerar relevante o fato de o político ser da mesma religião delas.

Questionados sobre a importância de um candidato já ter sido prefeito ou governador, 72% disseram concordar totalmente ou em parte com a afirmação. Enquanto 48% dos eleitores dizem não ter preferência por nenhum partido, 5% não souberam ou não quiseram responder. Dos que responderam, o PT tem a preferência de 19%, seguido pelo MDB (7%), PSDB (6%) e PSol (2%).

A pesquisa listou características pessoais dos candidatos. Questionados sobre votar em um candidato acusado de ser corrupto, mas que tenha o mesmo alinhamento ideológico que os brasileiros, 79% dos entrevistados discordaram. Somadas, foram lembradas por 3% dos entrevistados. Em seguida, aparecem nunca ter se envolvido em casos de corrupção (84%) e transmitir confiança (82%). Na sequência, aparecem: "ter experiências em assuntos econômicos" (77%), "ter boa formação educacional" (74%), "ter uma boa relação com os movimentos sociais" (71%), "ter experiência profissional de sucesso" (65%), "ter uma boa relação com a Câmara de Deputados e com os senadores" (64%), "ter experiência/trajetória na política" (62%), "ter uma boa relação com os empresários" (57%), "ter trabalhado no setor público" (47%), "ter trabalhado no setor privado" (40%) e "ser militar" (27%).

O próximo presidente deve centrar sua atuação nas mudanças sociais, com melhoria da saúde, da educação, da segurança e da desigualdade social, na opinião de 44% das pessoas ouvidas por uma pesquisa feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) em parceria com o Ibope. Outros 32% preferem atenção especial à moralização administrativa, com combate à corrupção e punição de corruptos, enquanto 21% pedem estabilização da economia, com queda definitiva do custo de vida e do desemprego. Para a grande maioria dos brasileiros (92%), é importante ou muito importante que o controle de gastos públicos esteja na pauta dos postulantes ao cargo. Ao mesmo tempo, a maioria dos brasileiros, ou 75%, não acredita nas promessas dos políticos. Para 8%, isso é indiferente e 38% discordam em parte ou totalmente.

Segundo o levantamento, a eleição presidencial de outubro é vista com pessimismo por 44% dos brasileiros, principalmente devido à corrupção, enquanto 20% veem o pleito com otimismo, apontando em especial a expectativa por mudança e renovação.

Quanto às pessoas que disseram estar otimistas, o principal motivo apontado foi a possibilidade de mudança ou renovação (32%).

Artigos relacionados