Esplanada dos Ministérios é fechada para Fórum Mundial da Água

Esplanada dos Ministérios é fechada para Fórum Mundial da Água

As dificuldades hídricas que já estão sendo enfrentadas por diversos países ao redor do mundo para garantir o abastecimento humano foram o foco central dos discursos de abertura do 8º Fórum Mundial da Água, em cerimônia realizada nesta segunda-feira (19/3) no Palácio Itamaraty, em Brasília. Ele reafirma o compromisso histórico do Brasil com essa questão e disse que os trabalhos visando à sustentabilidade hídrica requerem "ações permanentemente integradas em nossos países e entre nossos países".

"O acesso à água está intimamente ligado à capacidade de crescer de forma sustentável". Nós estamos ultimando projeto de lei com vistas a modernizar nosso marco regulatório de saneamento e incentivar novos investimentos. "O que nos move, naturalmente é a busca da universalização desse serviço básico", disse.

Embora o acesso à água para consumo humano, as soluções para a área de saneamento e as questões ambientais tenham sido os pontos mais citados nos discursos de abertura do Fórum, coube ao primeiro-ministro de Mônaco, Serge Telle, uma clara crítica à atividade agropecuária. "A vida na terra estará ameaçada se não respeitarmos os limites da natureza".

"No Brasil aliando responsabilidade fiscal e social, deixamos para trás a pior recessão da nossa história, mas não admitimos crescimento a qualquer custo", afirmou. Para o presidente do CMA é o brasileiro Benedito Braga, o grande objetivo do fórum é "aproximar a comunidade científica e técnica da comunidade tomadora de decisão", ou seja, a classe política.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) propõe soluções baseadas principalmente na recuperação natural de mananciais e nas chamadas "zonas úmidas" - alagados, pântanos, mangues -, que não só ajudam a preservar os mananciais mas fazem a filtragem de substâncias tóxicas e resíduos industriais.

Entre as alternativas estão, por exemplo, a regeneração do solo e das coberturas florestais e paredes verdes e jardins suspensos em áreas urbanas.

Artigos relacionados