Autoridades gregas mandam prender presidente do PAOK

Autoridades gregas mandam prender presidente do PAOK

A partida foi interrompida por desacatos e o presidente do PAOK entrou em campo... armado.

A confusão instalou-se no campo quando, ao minuto 90, Fernando Varela fez um golo pelo PAOK, que acabou por ser anulado depois do veredito de um árbitro assistente. Como resposta, os adeptos manifestam o seu desagrado e invadem o relvado, inclusive o presidente do PAOK, que estava armado com o "que parece ser um revólver" - como indica a agência Reuters. A assessoria do dirigente declarou que "ele não ameaçou ninguém com uma pistola" e que "carrega uma arma porque tem permissão para fazê-lo". Enquanto isso, os jogadores do AEK partiram para o vestiário, temendo um conflito maior.

Posteriormente, via Twitter, o PAOK divulgou que o árbitro decidiu validar o gol e que a informação constaria na súmula.

O resultado positivo levaria o time presidido por Savvides ao segundo lugar do Campeonato Grego, com 52 pontos, dois atrás justamente do AEK.

Presidente do Paok Ivan Savvidis
Presidente do Paok Ivan Savvidis

A polícia grega emitiu uma ordem de detenção contra Savidis e os seus quatro guarda-costas. "Que alguém entre em campo com uma pistola na mão é uma provocação inadmissível, independentemente do que possa ter acontecido", afirmou Panos Skuletis, ministro grego do Interior.

"Decidimos suspender o campeonato..."

O ministro acrescentou que o Governo está em contacto permanente com a UEFA, que ainda não se pronunciou sobre o caso, e que vai tentar evitar que as equipas gregas sejam excluídas das competições europeias.

O presidente do PAOK, Ivan Savvidis, é um dos homens mais ricos da Grécia.

Artigos relacionados