Alexandre Kalil lamenta falecimento de Bebeto de Freitas nas redes sociais

Alexandre Kalil lamenta falecimento de Bebeto de Freitas nas redes sociais

Ele passou mal quando apresentava as acomodações da concentração atleticana e recebeu atendimento médico em um dos quartos do prédio do CT atleticano, mas não resistiu e acabou morrendo.

O Atlético-MG decretou luto oficial de três dias após o falecimento do dirigente. No futebol, foi diretor do Atlético-MG e no Botafogo. Após conceder entrevista coletiva por cerca de 15 minutos foi ao hotel onde o time se concentra no próprio centro de treinamento. Ambulâncias e um helicóptero chegaram a ser acionados para socorrer o dirigente, que não resistiu a uma parada cardíaca e morreu antes de ser levado para um hospital. Bastaram mais alguns minutos para a nova informação ser ainda pior: Bebeto morreu.

Ex-jogador e treinador de vôlei, Bebeto de Freitas deixa o esporte brasileiro de luto. Em 1984, comandou a geração de prata do voleibol masculino nos Jogos Olímpicos de Los Angeles. Comandou craques como Renan, Bernard, William, Xandó, Amauri e Montanaro. Foi presidente do Botafogo entre 2003 e 2008.

Por meio de sua conta no Twitter, Alexandre Kalil, ex-presidente da instituição mineira lamentou o ocorrido. Antes disso, havia trabalhado no Galo em duas oportunidades: 1999 e 2001.

Em 2009 voltou para Belo Horizonte, sendo diretor-executivo do Atlético.

"Sempre gostei de gente de bem e honesta ao meu lado. Encontramos mais tarde, Bebeto". Com a eleição de Sérgio Sette Câmara para presidente do Atlético-MG, no final do ano passado, retornou ao clube, desta vez no cargo de diretor de administração e controle.

Em 2017, o ex-dirigente assumiu a pasta de Secretaria e Lazer na prefeitura de Belo Horizonte, a convite do atual prefeito, Alexandre Kalil.

A situação alterou a programação do Atlético-MG na tarde desta terça-feira. O time se prepara para o confronto com o Figueirense, pela terceira fase da Copa do Brasil, marcado para a próxima quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Independência. O período como mandatário do clube carioca foi muito positivo, já que conseguiu reestruturar as contas financeiras e trazer investimentos para o futebol.

Artigos relacionados