2 mil prefeituras terão convênio com programa Internet para Todos

2 mil prefeituras terão convênio com programa Internet para Todos

Acompanhando o prefeito dr. Hildon na solenidade de assinatura estará o deputado federal Expedito Neto (PSDB/RO), principal articulador, junto ao governo federal, para a adesão da capital rondoniense ao programa coordenado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, gestão que a parlamentar vem fazendo desde o ano passado. Campo Grande será uma das três capitais a aderirem ao programa, as outras são Belo Horizonte (MG) e Cuiabá (MT).

Segundo o MCTIC, o Internet para Todos tem o objetivo de levar banda larga a regiões e municípios sem acesso ou com acesso precário à internet. O programa já tem 2.260 cidades prontas para assinar o termo de adesão, sendo que o número de municípios habilitados pode ser acrescido em mais de 330 já que 2.593 cidades manifestaram interesse em participar do programa. "É uma grande oportunidade para o nosso estado, que é destaque mundial na produção agrícola, mas ainda precisa avançar muito na área de tecnologia da informação e comunicação".

As primeiras antenas devem começar a ser entregue às prefeituras em maio. A conexão será feita por meio do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), que recebeu R$ 3 bilhões em investimentos.

Como lembrado no evento, a adesão das prefeituras se dá sem custos diretos, embora caiba aos municípios prover local para a instalação de antenas e cuidar da segurança.

Após o evento, Temer participou de uma outra cerimônia, no Palácio do Planalto, na qual o governo lançou a seleção pública para projetos que serão beneficiados pelo programa de conversão de multas ambientais. Um programa também de inclusão social, de justiça social. Nestes municípios estão cerca de 30 mil localidades que o governo espera ver atendidas.

O termo de adesão que será assinado pelos prefeitos define a infraestrutura básica e as condições para a participação dos municípios. A operação será feita pela empresa Viasat, dos Estados Unidos, que foi contratada pela Telebras. O programa possibilitará aos usuários conexão em banda larga a preços reduzidos.

Além dos convênios com as prefeituras, o ministro Kassab destacou que MCTIC já firmou parcerias com o Ministério da Defesa, para "garantir o monitoramento de 100% das fronteiras brasileiras"; com o Ministério da Educação, para levar banda larga para todas as escolas públicas do País, sendo que 7 mil serão contempladas no ano 2018 e com o Ministério da Saúde, para implantar Internet em hospitais e postos de saúde públicos. Os satélites geoestacionários que distribuirão o sinal têm uma vida útil de 18 anos, ou seja, será o "prazo de validade" do programa.

Artigos relacionados