Volume de serviços no País aumenta 1%

Volume de serviços no País aumenta 1%

O volume de serviços prestados no País cresceu 1,0% em relação a outubro, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Serviços divulgada nesta sexta-feira, 12, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As áreas que tiveram maior contribuição para que o índice de novembro fosse positivo foram informação e comunicação, com alta de 0,9%, e os transportes, com crescimento de 0,6%.

Também houve avanço na atividade de serviços de transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (+0,6%) e de serviços profissionais, administrativos e complementares (+0,2%).

O setor de serviços brasileiro surpreendeu e subiu mais que o esperado em novembro, interrompendo quatro meses seguidos de queda, sobretudo por conta da atividade voltada para as famílias e do setor de informação e comunicação, em meio ao cenário de inflação e juros menores. A taxa acumulada pelo volume de serviços prestados no ano ficou negativa em 3,2%, enquanto o volume acumulado em 12 meses registrou perda de 3,4%. Para serviços andarem de forma mais rápida, é preciso nível de investimento maior, que estimula a contratação de serviços, e recuperação mais robusta do mercado de trabalho, que reage agora com a contratação de informais - disse o coordenador da pesquisa, Roberto Saldanha.

O pesquisador apontou que, até o momento, o setor de petróleo e gás é a principal aposta do país para alavancar o setor de serviços. Já no período imediatamente anterior, o IBGE havia contabilizado redução de 1,20% e entre setembro e outubro, a retração nas receitas foi de 2,30%. "As perdas apuradas pelo setor seguem explicitando a carência de investimentos na economia", avaliou Fabio Bentes, chefe Interino da Divisão Econômica da Confederação Nacional do Comércio de Bens Serviços e Turismo (CNC), em nota.

"A partir de outubro, começamos a observar o início de uma lenta recuperação".

Segundo Saldanha, como os governos federal, estaduais e municipais enfrentam uma crise fiscal, houve corte de gastos e menos contratações de serviços.

O IBGE informou ainda que a receita nominal em novembro do setor de serviços cresceu 1,2% em relação a outubro, na série com ajuste. O agregado especial das Atividades turísticas teve alta de 0,9% em relação a outubro.

Artigos relacionados