Venda de Embraer para a Boeing precisa de decreto presidencial

Venda de Embraer para a Boeing precisa de decreto presidencial

Ele afirmou que o governo deve garantir o controle da Embraer mas, em paralelo, negociar parcerias com a Boeing em assuntos de interesse nacional.

As informações são de reportagem de no Valor. O parecer conclui que a proibição só poderia ser retirada por uma lei específica posterior ou se "o Excelentíssimo Senhor Presidente da República, por razões de Estado, venha a retirar a exigência referente a limitação do capital estrangeiro". O presidente Michel Temer também já tinha se posicionado contra a transferência do controle acionário da Embraer. A PROPOSTA Mesmo diante da recusa do governo em negociar a golden share, a Boeing pretende fazer uma oferta pública de compra de ações de até 100% do capital da Embraer, com uma estratégia para 'driblar' a negativa. Outro fator que torna a negociação mais complexa é o poder de veto da União, que detém, desde a privatização da Embraer, uma ação especial da empresa, chamada de golden share.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, recebeu nesta sexta-feira representantes da Boeing para discutir parcerias entre a companhia e a Embraer. Obstáculos, porém, não faltam. A empresa confirma a negociação, mas não entra em detalhes: "Não há garantia de que qualquer transação resultará dessas discussões", informou a fabricante em nota conjunta com a Boeing.

De acordo com especialistas, os bancos podem ajudar a desatar um dos principais nós do futuro negócio, que é a questão da segurança nacional do Brasil, caso a nova parceria envolva a área militar da Embraer, que também é do interesse da Boeing.

Artigos relacionados