S&P reduz nota de crédito soberano do Brasil para BB

S&P reduz nota de crédito soberano do Brasil para BB

Desde dezembro, quando o governo não conseguiu aprovar a reforma da Previdência, falava-se da possibilidade desse rebaixamento. A perspectiva da nota foi modificada de negativa para estável.

Ao justificar o rebaixamento, a Standard & Poor's chegou a elogiar algumas medidas adotadas pelo governo Temer, mas disse que elas não foram adotadas no ritmo necessário e, por isso, a decisão do rebaixamento.

Uma primeira versão do comunicado foi divulgada às 20h47 no site do Ministério da Fazenda, mas depois foi retirada do ar.

Para o economista-chefe da MB Associados, Sérgio Vale, a decisão da agência de classificação de risco faz sentido, uma vez que a probabilidade de a reforma da Previdência passar no Congresso, mesmo em fevereiro, é muito reduzida. Em agosto do ano passado a Standard&Poor's já tinha rebaixado a nota do Brasil.

A justificativa para a perspectiva se dá pelo "perfil externo comparativamente sólido do Brasil e a flexibilidade e credibilidade de sua política monetária e cambial", que estão compensando, em parte, as "fraquezas econômicas e fiscais e a incerteza sobre as eleições presidenciais de 2018".

A nota mais baixa significa que fica mais caro e difícil para o Brasil captar dinheiro no exterior porque os investidores acham que é mais arriscado injetar recursos no país. A pasta ressaltou ainda que o governo tem tido o apoio do Congresso Nacional para tocar essa agenda.

"O Governo reforça o seu compromisso de aprovar medidas como a reforma das pensões", entre outras, para "assegurar o crescimento sustentável da economia brasileira e o equilíbrio fiscal a longo prazo", acrescenta o documento.

"Sempre contamos com o apoio e com a aprovação das medidas necessárias para o País pelo Congresso Nacional e temos certeza que o mesmo continuará a trabalhar em favor das reformas e do ajuste fiscal fundamentais para o Brasil", diz a nota.

Artigos relacionados