Realizador Paul Haggis acusado de assédio e violação

Realizador Paul Haggis acusado de assédio e violação

Um dos casos de violação já tinha sido denunciado, desencadeando um processo judicial que levou agora a que outras três mulheres falassem à agência de notícias Associated Press (AP) sobre o que passaram às mãos do realizador. Haggis, que realizou o filme vencedor de Óscar Crash (Colisão), já tinha contestado o processo judicial interposto contra si, acusando a denunciante de extorsão.

Mas agora surgiram três novas acusadores, que se recusaram a ser identificadas com medo de retaliação. Num dos casos, que aconteceu em 1996 o realizador obrigou a vítima a fazer sexo oral e posteriormente violou-a no chão do seu escritório, assegura a mesma. A denunciante não se identificou mas contou que o caso aconteceu em 1996, quando tinha 28 anos e trabalhava na área da comunicação de um programa de televisão produzido pelo realizador. Na época, não foi à polícia porque ninguém acreditaria nela e o diretor acabaria com sua carreira. ", Uma mulher, uma publicista, alegou". Noutro caso, o Paul Haggis terá tentado beijar uma mulher, dizendo-lhe também que tinha um acordo no seu casamento que lhe permitia dormir com outras mulheres, mas ela fugiu, afirmando que foi também seguida por ele.

Outra disse à AP que Haggis lhe disse "Preciso de estar dentro de ti" antes de conseguir fugir. Uma das quais afirma que, em 2015, Haggis a beijou à força antes de a seguir para um táxi.

Cientologista que depois se voltou contra a seita, Paul Haggis foi alçado à fama com "Crash" e depois assinou roteiros de filmes de sucesso como "Menina de Ouro" (2004), "007 - Cassino Royale" (2006) e "007 - Quantum of solace" (2008). E que outros membros da Academia também pensavam assim.

Artigos relacionados