Reajuste do Mínimo fica abaixo do IPCA

Reajuste do Mínimo fica abaixo do IPCA

Considerando a taxa anual de 2,07% do INPC, o salário mínimo, que teve reajuste de 1,81%, ficou sem ganho real, ou seja, abaixo da inflação, pelo 2º ano consecutivo.

Em 2017, por exemplo, o governo concedeu aos aposentados que ganham acima do mínimo um reajuste de 6,58%, equivalente ao INPC acumulado até dezembro de 2016, sem ganho real (acima da inflação). Isso porque o governo ignorou a variação do INPC no mês de dezembro para corrigir o mínimo, sendo que o índice teve uma variação de 0,26% naquele mês.

A estimativa é que os reajustes por meio do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), responsável pela correção dos benefícios, chegue a apenas 1,88% ao longo de 2018, em razão da queda nos índices oficiais de inflação do ano passado.

Por lei, esse valor é corrigido levando em conta a inflação no ano anterior e o PIB de dois anos anteriores. A queda de preços especialmente dos alimentos puxou para baixo a variação do índice, mas isso explica apenas em parte o minúsculo aumento do salário mínimo. O IBGE divulgou nesta quarta-feira que o índice fechou 2017 em 2,07%.

O salário mínimo que passou para R$ 954,00 em 2018, com um reajuste de 1,81%, deveria ser de R$ 956,40 para seguir o que determina a legislação. O valor reajustado foi de 6,48%, ao passo que o INPC ficou em 6,58%, uma perda de 0,1%.

Além disso, os beneficiários do salário-família também terão impactos na renda.

O que não está sendo dito é que essa diferença de 0,26% tem de ser incorporada no reajuste do ano que vem a ser aplicado ao salário mínimo.

O valor atual do salário mínimo está distante do valor considerado como "necessário", segundo cálculo do Dieese. O valor é inferior ao estimado anteriormente pelo governo, que era de R$ 965.

Artigos relacionados