Portugal pede condições para seus empresários na Venezuela

Portugal pede condições para seus empresários na Venezuela

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, referiu que Portugal pode ajudar a Venezuela a ter acesso a alimentos e medicamentos.

Em uma entrevista coletiva com seu contraparte venezuelano, Jorge Arreaza, Santos pediu ao governo do país para fazer tudo que for possível para conciliar sua política de controle de preços com "a necessidade dos portugueses de ter condições para suas empresas, comércios e redes de distribuição". "Portanto nós próprios podemos contribuir para superar estas dificuldades, certamente momentâneas, que hoje se vivem aqui". "Eu terei a oportunidade de ter uma reunião bilateral com o ministro das Relações Exteriores, para além da comissão mista".

Foi também proposta a criação de uma fábrica, com investimento de laboratórios portugueses, na Venezuela.

"Há preocupações (na comunidade portuguesa na Venezuela) pelas dificuldades de que se tenham preços inferiores aos custos de produção", disse mais tarde o diplomata, após se reunir com o Omar Barboza, presidente do Parlamento de maioria opositora.

Augusto Santos Silva falava à Agência Lusa em Caracas, à margem de um encontro com o cardeal local, Jorge Urosa Savino, que o governante considerou "muito útil" e que teve lugar no âmbito de uma visita de quatro dias do chefe da diplomacia portuguesa à Venezuela.

Durante a deslocação a Caracas, o ministro deverá ainda reiterar a posição da União Europeia face à atual crise política, social e económica, e que já levou à imposição de sanções à Venezuela.

Artigos relacionados