Os Xutos vão continuar

Os Xutos vão continuar

Os Xutos & Pontapés anunciaram que vão continuar, cerca de um mês e meio após a morte de Zé Pedro.

Hoje é um bom dia para olharmos para a frente. "Temos entre mãos as músicas novas, muitas delas com a guitarra do Zé [Pedro] já gravada, estamos a contar com o disco de originais neste ano", pode ler-se na rede social, num dia em que a banda celebra o seu 39.º aniversário. Temos vários pedidos para concertos que vamos aceitar. Não é fácil, a ausência pesa toneladas, sabemos que vai ser diferente, esperamos que seja bom.

O último concerto no qual Zé Pedro participou foi a 04 de novembro, no coliseu de Lisboa, que assinalou o fim da digressão de 2017 dos Xutos & Pontapés. Zé Pedro estava doente há vários meses, mas a situação foi sempre mantida de forma discreta pelo grupo, tendo só sido assumida publicamente nessa altura, a propósito do concerto de fim de digressão.

O disco Puro, de 2014, foi o último álbum dos Xutos & Pontapés. Aliás, no próprio dia em que decorreram as cerimónias fúnebres de Zé Pedro, a 2 de dezembro, e depois de ajudar a transportar o caixão, com os restantes companheiros da banda, o vocalista dos Xutos rumou ao Algarve para um concerto de comemoração dos 25 anos dos Resistência, banda de que também faz parte. Em 2017 foram divulgados os temas Alepo, cuja letra foi composta com frases da menina síria Bana Alabed, e Sementes do impossível para um filme de Joaquim Leitão. No verão de 1977, numa viagem de comboio pela Europa foi a um festival punk no sul de França, que terá sido decisivo para a formação pessoal e para o que queria fazer de futuro.

Depois do concerto em Albufeira - o último da banda - na passagem de ano, o grupo não tem ainda datas marcadas para concertos em 2018. Tinham passado 40 anos depois de ter fundado os Xutos com Tim, Kalú e Zé Leonel, que entretanto deixou a banda. No final, em uníssono, os espectadores entoaram o nome do guitarrista falecido.

Artigos relacionados