Merkel e Schulz chegam a princípio de acordo para governo na Alemanha

Merkel e Schulz chegam a princípio de acordo para governo na Alemanha

Terminaram na sexta-feira de manhã (12.01), com um "acordo de princípio" de 28 páginas que, segundo a imprensa, prevê limitar a entrada de refugiados na Alemanha a entre 180 mil a 220 mil pessoas por ano.

A chanceler alemã, Angela Merkel, e os social-democratas alcançaram hoje um "acordo de princípio" com vista à formação do novo governo alemão, disse à France Presse uma fonte ligada às negociações.

Deste acordo depende em grande parte o futuro político da chanceler. A decisão ainda precisa, no entanto, ainda validada pela base do partido.

Merkel, há 12 anos no poder, vinha governando em parceria com o SPD no que é conhecido na Alemanha como "grande coalizão".

Os termos do acordo vão ser ainda submetidos aos órgãos dirigentes dos respetivos partidos sendo que é esperada alguma resistência por parte dos dirigentes do SPD (social-democratas). Com isso, a CDU tentou formar uma aliança com os Verdes e os liberais, sem sucesso.

Mas nada ainda é definitivo.

Merkel e Schulz selam acordo para coalização na Alemanha

Os sociais-democratas ainda devem votar se apoiam as diretrizes acertadas no acordo firmado hoje para que iniciem as negociações efetivas da coalizão.

"A Alemanha é um dos motores da UE e a estabilidade alemã tem um impacto em toda a UE", referiu, por sua vez, o primeiro-ministro búlgaro, Boyko Borissov, esperando que o processo de negociação para a formação do executivo alemão "esteja concluído em breve".

Depois, ante a dificuldade de se chegar a um acordo entre democrata-cristãos e social-democratas, Steinmeier ligou para os dois grupos determinando que superassem suas diferenças em nome do interesse nacional. Iniciados há cinco dias, entraram na quinta-feira em sua última sessão.

A legisladora democrata-cristã Julia Kloeckner que participou nas negociações já difundiu uma fotografia da capa do documento através da rede social Twitter.

Os dois somam uma pequena maioria de votos e Merkel obteve uma vitória com um resultado historicamente baixo.

Os de direita, em particular a CSU, que começou sua campanha para as eleições regionais de final de ano, exigiam um endurecimento da política migratória e uma redução limitada de impostos para todos.

Artigos relacionados