Marília Mendonça tem parte dos bens bloqueados pela Justiça por shows cancelados

Marília Mendonça tem parte dos bens bloqueados pela Justiça por shows cancelados

Caso as partes não entrem em acordo, os bens de Marília Mendonça continuarão bloqueados.

De acordo com nota enviada pela assessoria à reportagem, o show que seria realizado no dia 3 de fevereiro foi remarcado para o dia 9, mas também precisou ser cancelado pelo mau tempo.

Segundo a determinação do juiz Márcio José Tricote, da 3ª Vara Cível de Araguari, à qual o 'G1' teve acesso, foram bloqueados judicialmente R$ 100 mil em bens da artista, da contratante, Juliana de Lima Melo Alves, e da empresa produtora do evento, chamada Workshow.

A reportagem não conseguiu contato com a contratante dos eventos. A artista baseia sua argumentação no fato de que não recebeu os cachês, pois as apresentações não aconteceram.

O processo teve origem por causa de reclamações recebidas pelo Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-MG), de pessoas que compraram ingressos antecipados e não foram ressarcidos do valor após os cancelamentos. "As fortes chuvas que caíram sobre a cidade nas duas ocasiões impossibilitaram apresentação, preservando assim a integridade física do público, cantora, equipe e de todos os envolvidos no evento", indica parte do comunicado.

O processo ainda aponta que o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com os produtores do evento para reembolso dos consumidores em 27 de março de 2017, mas o acordo não foi cumprido.

Uma audiência de conciliação está agendada para o dia 18 de janeiro no Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania da cidade mineira. O TJMG explicou que, caso não seja feito acordo, o processo continua com o bloqueio dos valores. Contudo, a assessoria de comunicação do órgão informou que promotora responsável pela ação está em férias e não tem mais informações sobre o caso.

Artigos relacionados