Garoto chinês chega à escola com cabelos congelados

Garoto chinês chega à escola com cabelos congelados

Após caminhar uma hora e meia em uma temperatura de 9ºC negativos, Wang Fuman, de oito anos, ficou com os cabelos, as sobrancelhas e os cílios congelados, além das mãos machucadas pelo frio. A internet chegou a apelidar ele de "ice boy".

Embora tenha checado com muita neve sobre a cabeça, o estudante amenizou a jornada para chegar à escola.

"Eu quero ser um policial para lutar contra os bandidos", disse Wang ao The Paper, uma publicação com sede em Xangai.

O professor da escola do próprio Wang enviou as fotos para o site 'Thepaper.cn', um site responsável por divulgar a história que foi viralizada por milhares de pessoas nas redes sociais.

Nesta imagem pode ver-se Wang a receber alguma roupa que lhe foi doada
Nesta imagem pode ver-se Wang a receber alguma roupa que lhe foi doada

As imagens do menino comoveram o mundo todo. Noutra, vê-se o rapaz com as bochechas vermelhas e inchadas, vestido com um fino casaco e outras crianças a rirem-se.

Estatísticas oficiais de 2016 mostravam que cerca de 43,3 milhões de moradores rurais ainda viviam abaixo da linha de pobreza oficial, que é de 2.300 iuanes (346 dólares), por ano no país. As imagens tornaram-se virais mas sobretudo reacenderam o debate sobre as condições de vida das crianças mais pobres da China, que são muitas vezes deixadas sozinhas pelos pais que partem em busca de trabalho nas cidades. Com a intenção de estabeler uma "sociedade moderadamente próspera", Xi prometeu erradicar a pobreza rural até 2020.

Usuários de redes sociais acusaram a mídia de explorar a imagem da criança, considerando um exagero fazer com ele que apareça em uma série de reportagens. Apesar disso, houve uma recompensa. A "Beijing News" anunciou em sua conta Weibo que, desde quarta-feira, internautas doaram 100 mil yuans (R$ 49,7 mil) para a escola de Wang e outra escola na área. Com a contribuição, cada aluno receberá individualmente 500 yuans (R$ 248).

Artigos relacionados