EUA se prepara 'seriamente' para guerra com Coreia do Norte

EUA se prepara 'seriamente' para guerra com Coreia do Norte

Além de uma orquestra de 140 músicos, a delegação também terá a girlband, formada por ex-militares, como destaque.

Os 20 países que se reuniram nos dois últimos dias para discutir a crise norte-coreana concordaram nesta terça-feira, 16, em considerar sanções mais duras para pressionar a Coreia do Norte a desistir de suas armas nucleares.

O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, advertiu o Norte, frisando que poderia provocar uma resposta militar, se o regime de Kim não escolhesse o diálogo.

O ministro do Exterior do Japão, Taro Kono, declarou que o mundo não pode ser ingênuo em relação à "iniciativa simpática" dos norte-coreanos, que participaram de conversas com os sul-coreanos antes dos Jogos Olímpicos de Inverno, programados para o mês que vem em Pyeongchang, na Coreia do Sul.

O encontro ocorreu em Vancouver, no Canadá, entre ministros e diplomatas de países que apoiaram a Coreia do Sul durante a Guerra da Coreia (1950-1953).

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, se recusa a desistir do desenvolvimento de mísseis nucleares capazes de atingir os EUA diante das crescentes sanções impostas pelas Nações Unidas, o que gera medos de uma nova guerra na península coreana.

"A Coreia do Norte continua a avançar com os programas nucleares, mesmo agora enquanto estamos aqui a falar". "O fato de que a Coreia do Norte está participando de um diálogo pode ser interpretado como prova de que as sanções estão funcionando".

Artigos relacionados