Diego Souza aponta conversa com Raí como determinante para deixar o Sport

Diego Souza aponta conversa com Raí como determinante para deixar o Sport

Ele recebeu a camisa 9 do Tricolor das mãos do diretor executivo Raí.

"É um prazer apresentar o Diego para a torcida são-paulina". Ele dispensa comentários. Tem categoria, habilidade e chega como referência para todo o time e para os mais jovens. É um jogador que deixou boas lembranças por onde passou, e é um líder. O São Paulo busca contratações precisas para equilibrar o perfil do elenco com qualidade para termos um grupo ambicioso, não só nas pretensões, mas na qualidade de jogo. "Se for aos amistosos, tenho que provar que posso estar no grupo", disse Diego. "Não tive nenhum contato com o Scarpa, mas ele é um grande atleta e, se eu preciso fazer gol, ele é um cara que me ajudaria bastante". Artilheiro do Campeonato Brasileiro de 2016 com 14 gols, o atacante manteve a pontaria calibrada no ano seguinte e balançou as redes 21 vezes. Não é surpresa para mim desfrutar aos 32 anos de um bom futebol. A escolha pelo São Paulo foi, sem dúvida, pela história. Uma equipe que sempre briga por todos os campeonatos que disputa.

- Ele foi convocado jogando com a camisa do Sport, mas me parece que tem esperança de que no São Paulo tenha mais projeção.

Ex-companheiros de Fluminense, em 2016, Diego Souza e Scarpa podem reeditar a parceria caso o São Paulo entre em acordo com o Tricolor das Laranjeiras.

"Tive uma conversa com Raí e sem dúvida nenhuma trocamos essa ideia e isso me fez acreditar no projeto, e vir ser feliz aqui no São Paulo". Também quero ajudar com assistências e gols. Não estou preocupado se serei 9, 10, ponta. Quero jogar e estar bem ajudando da melhor maneira. "Temos dado nosso melhor para chegarmos ao dia 17 prontos e para conseguirmos bons resultados".

Mudei, passei por alguns clubes, a maioria dentro do país. Duas vezes nessa mudança foi por questões burocráticas, fui para arábia, clube não pagou e tive de voltar. Na Ucrânia, pela guerra, a equipe deixou de existir. São questões de oportunidade.

Era meio de temporada. Meu passe foi de uma empresa também e isso fazia com que eles tivessem porcentagem, vendesse. Não sabia se era o que queria. Nos últimos tempos eu dei uma sentada em uma cidade, parei com a correria e a loucura de procurar casa e escola. É muito melhor estar adaptado e tranquilo num lugar.

Artigos relacionados