Aplicativo que promete substituir pílula anticoncepcional é investigado

Aplicativo que promete substituir pílula anticoncepcional é investigado

Um aplicativo que funciona como contraceptivo está sob ataque depois que 37 mulheres relataram estarem grávidas por terem usado a tecnologia.

Isso porque o aplicativo promete informar, medindo a temperatura corporal da usuária, quais dias são seguros ter atividade sexual sem proteção - a medição é ligada com o ciclo menstrural.

"É um novo método e notamos casos de gravidez indesejada, então estamos reportando a situação para a Agência de Produtos Médicos", afirmou Carina Montin, uma especialista do hospital.

Os 37 casos foram descobertos durante uma pesquisa feita com 600 mulheres que foram fazer aborto no hospital sueco, entre setembro e dezembro de 2017. Os resultados foram informados para a Agência de Produtos Médicos, uma espécie de "Anvisa" do país sueco. Dias marcados como verde são aqueles em que o sexo sem proteção seria seguro, enquanto os registrados em vermelho requerem uma forma de contracepção por parte do casal.

No entanto, a empresa não garante 100% de sucesso, afirmando que nenhum método contraceptivo é totalmente livre de falhas (até a camisinha pode estourar, afinal de contas). Ter 37 casos de gravidez indesejada em 668 mulheres mencionadas no estudo do Södersjukhuset mostra que 5,5% das mulheres que usam o Natural Cycles tiveram uma gravidez indesejada.

É importante ressaltar que o Natural Cycles foi o primeiro aplicativo aprovado para uso anticoncepcional, com certificado alemão. Já em novembro passado, o app arrecadou US$ 30 milhões em financiamento. O Natural Cycles agora espera aprovação da FDA para desembarcar nos Estados Unidos.

Artigos relacionados