Advogado de Trump pagou para silenciar atriz pornô, diz jornal

Advogado de Trump pagou para silenciar atriz pornô, diz jornal

Michael Cohen, advogado pessoal do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pagou US$ 130 mil a uma atriz de filmes pornográficos para que ela não divulgasse a informação de que teve relações com o líder americano em 2006, quando ele já estava casado com Melania. O pacto foi acertado entre Cohen e o advogado da atriz em outubro de 2016, um mês antes que Trump ganhasse as eleições presidenciais. Segundo as fontes do jornal nova-iorquino, Clifford comentou em particular que os fatos se referem a um encontro sexual com Trump depois que os dois se conheceram em um torneio de golfe de famosos no Lago Tahoe em 2006.

Ao mesmo tempo, a Casa Branca também negou o assunto em comunicado, afirmando que estas notícias são "velhas e recicladas" e foram "publicadas e negadas antes da eleição". Na ocasião, ela teria tido um breve affair com o empresário, que já era casado com Melania Trump. A informação foi divulgada na sexta-feira à noite pelo Wall Street Journal e pelo New York Times. O tabloide, que apoiava a candidatura de Trump, teria pago US$ 150 mil pela história, e depois deixado de publicá-la.

Durante a campanha eleitoral foi divulgado um vídeo de Trump, em que ele se gabava de poder tocar nas mulheres impunemente.

O presidente afirma que nunca se comportou de forma inapropriada, refutou as acusações e diz ter "imenso respeito" por mulheres.

Michael Cohen foi durante uma década o advogado principal do conglomerado empresarial Trump. "Vocês tentaram perpetuar esta falsa narrativa há mais de um ano. uma narrativa que foi constantemente negada por todas as partes desde pelo menos 2011", acrescentou Cohen em sua declaração ao jornal. As revelações fizeram o advogado procurar Clifford para comprar seu silêncio, mas o "Wall Street Journal" afirma que não se sabe se o magnata estava ciente do pagamento.

A fala é referência a uma nota publicada em agosto de 2016 pelo jornal alegando que Daniels estava em negociações com o programa "Good Morning America" da ABC para discutir sua história com o então candidato Trump.

Artigos relacionados