Traficante Rogério 157 é preso na Zona Norte do Rio de Janeiro

Traficante Rogério 157 é preso na Zona Norte do Rio de Janeiro

A polícia prendeu na manhã desta quarta-feira (06), o traficante Rogério Avelino dos Santos, o Rogério 157.

Segundo a polícia, Rogério 157 não ofereceu resistência à prisão e foi encaminhado para a Cidade da Polícia, no Jacarezinho.

O criminoso foi o responsável pelo tráfico na Rocinha depois que tirou o poder de seu antecessor e ex-aliado, Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, que também está preso.

A ação envolveu 2,9 mil homens das Forças Armadas e foi realizada nas comunidades da Mangueira, Tuiuti, Arará, Mandela 1, Mandela 2 e Barreira do Vasco.

Os conflitos motivaram uma intervenção do Governo federal, que mandou o exército cercar e ocupar a favela.

Rogério 157 foi preso na comunidade do Arará, na casa de uma mulher que visitava. Rogério 157 está sendo levado para a Cidade da Polícia, no bairro do Jacaré, onde será apresentado pela Polícia Civil. Ele era procurado por tráfico, associação para o tráfico de drogas, extorsão e homicídio. Ainda de acordo com informações transmitidas para a polícia ao G1, havia seguranças com Rogério quando ele foi localizado, mas os comparsas fugiram com a chegada da equipe.

Os militares das Forças Armadas estão responsáveis pelo cerco às comunidade e baseadas em pontos estratégicos.

Rogério 157 foi preso na comunidade do Arará, onde estava escondido.

Após a prisão do criminoso, muitos tiros foram ouvidos na favela da Rocinha, segundo relato de moradores.

A disputa pelo controle da favela foi o que motivou os confrontos em setembro deste ano na comunidade.

No Dia dos Pais, Rogério convocou os traficantes "Perninha", "99" e "Vasquinho", aliados de Nem, para uma conversa.

Segundo a testemunha, depois de matar os rivais, Rogério convocou os chefes da facção a que pertencia para dizer que agora era ele quem mandava no morro.

A ação começou no fim da madrugada, mas só depois das 6h é que os agentes começaram a entrar nas comunidades, já que antes eles precisaram destruir barricadas montadas pelos traficantes nas ruas de acesso aos morros.

Artigos relacionados