Tarifa de energia segundo horário de pico vale a partir de janeiro

Tarifa de energia segundo horário de pico vale a partir de janeiro

O período mais caro de consumo de energia vai das 18h às 21h.

Horários de "ponta" são as três horas de maior consumo de energia de cada distribuidora (geralmente, as primeiras horas da noite); "intermediários" referem-se ao período de uma hora anterior e posterior ao horário de ponta; e "fora de ponta" são todos os outros horários.

A lógica para adoção da tarifa branca é que o sistema de energia elétrica é mais congestionado nos horários de pico, por isso o custo real da eletricidade naqueles momentos é mais elevado do que quando há menor consumo. Nos feriados nacionais e finais de semana a tarifa também será mais barata do que a convencional. De acordo com a Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), quem conseguir concentrar o consumo entre as 22 horas de um dia e as 17 horas do dia seguinte pode economizar. Também não se tem ainda a média de economia que poderá ser feita pelo consumidor que aderir a esta tarifa.

Uma dica da Proteste é que o consumidor não opte pelo novo sistema se ele e sua família só têm o fim da tarde e o início da noite livres.

A recomendação é que antes de fazer a adesão, o consumidor deve certificar-se de que será, de fato, vantajoso para sua casa ou seu negócio.

A migração para a tarifa branca é opcional ao consumidor: a partir do ano que vem, todo o novo consumidor já terá a opção de ser cobrado pela tarifa branca; para os consumidores já conectados à rede, a opção de aderir à tarifa branca será disponibilizada aos poucos.

A partir de janeiro de 2019, a tarifa branca estará disponível para os consumidores com média de consumo superior a 250 kWh por mês. A medida não é válida para quem é incluído na tarifa social de energia. Um exemplo é que o consumidor poderá escolher quando é mais vantajoso lavar e passar roupas ou ligar o ar-condicionado. "Cada consumidor deve fazer seus cálculos para verificar se vale a pena ou não aderir", disse Leite.

Todo mundo pode optar pela Tarifa Branca?

"Visa oferecer uma tarifa mais barata para quem consome mais energia fora dos 'horários de ponta'".

A distribuidora fica responsável pelos custos de aquisição e instalação dos equipamentos de medição, mas o consumidor vai pagar os custos de eventuais alterações no padrão de entrada de sua unidade consumidora. O consumidor pode mudar de ideia e retornar ao modelo de cobrança antigo a qualquer momento.

Artigos relacionados