PM é morto com 4 tiros; esposa e amante são suspeitos

PM é morto com 4 tiros; esposa e amante são suspeitos

Deise Ribeiro de Oliveira, de 23 anos, foi presa em flagrante pela Polícia Judiciária Civil pelo crime de homicídio qualificado e assassinato do policial militar Moshe Dayan Simão Kaveski, de 28 anos, na noite desta segunda-feira (4), no distrito de União do Norte, em Peixoto de Azevedo (888 km de Rondonópolis). Duas pessoas, entre elas a mulher do soldado, foram presas e levadas para a delegacia da Polícia Civil. Inicialmente ela informou que ambos foram abordados por uma pessoa baixa, gorda, vestindo roupas escuras. O casal, momentos antes, teria se encontrado com amigos, ingerido bebida alcoólica e também teria discutido, mas que não ocorreram agressões.

Para o delegado Israel Pirangi Santos, houve muita divergência nas versões apresentadas por Deise. A esposa do soldado estava junto com ele no momento do ocorrido e não teria sido atingida. O delegado afirmou que não há sinais de luta corporal, apesar de a suspeita informar que teria ocorrido. O soldado, que usava capacete, foi atingido por quatro tiros na cabeça. Isso leva a crer que o policial foi surpreendido com os disparos. Segundo a reportagem, testemunhas relataram uma discussão do casal horas antes do assassinato.

De acordo com a assessoria da Polícia Civil, outro ponto que contribuiu para convicção da autuação foi o fato da mulher costumar portar a arma da vítima, em sua bolsa, como no momento do crime.

Outro motivo é o fato da vítima estar embriagada e trajando bermuda e não ter notícias de que houve movimentação de motos no local ou latidos de cachorros. O criminoso chegou e realizou diversos disparos de arma de fogo.

Há informações de que Deise teria um caso extraconjugal com um homem, que também foi detido na segunda-feira. Perícias ainda serão realizadas na mão da Deise e na arma do soldado.

Artigos relacionados