PF investiga desvio de recursos para Memorial da Anistia Política

PF investiga desvio de recursos para Memorial da Anistia Política

Além do reitor, Jaime Arturo Ramirez, e da vice-reitora, Sandra Regina Goulart Almeida, também foram alvos de condução coercitiva o presidente da Fundep (Fundação de Desenvolvimento e Pesquisa), Alfredo Gontijo de Oliveira, e as ex-vice-reitoras Rocksane de Carvalho Norton e Heloisa Gurgel Starling, além de servidoras.

Em sua nota, a FPB disse que a PF, "a atual direção da Polícia Federal indicada pelo governo do golpe preserva os corruptos e persegue os honestos".

A PF está na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) desde a madrugada.

Ao todo, foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão e nove de condução coercitiva cumpridos na operação, que investiga os crimes de peculato, falsidade ideológica e associação criminosa. Ao todo, participaram da ação 84 policiais federais, 15 auditores da Controladoria Geral da União (CGU) e dois do Tribunal de Contas da União (TCU). Desde o início das investigações, a ação conta com o apoio da CGU e do TCU. Reitor e vice da instituição foram levados para prestar depoimento em Belo Horizonte.

Ainda de acordo com a corporação, o Memorial foi idealizado em 2008 e visa a "preservação e a difusão da memória política dos períodos de repressão, contemplados pela atuação da Comissão da Anistia do Ministério da Justiça".

Ao todo, segundo o levantamento do inquérito policial, já foram gastos mais de R$ 19 milhões na construção e pesquisas de conteúdo para a exposição, mas o único "produto aparente" é um dos prédios anexos à obra, que ainda está inacabado. Professores da UFMG, ex-alunos e atuais alunos, também fizeram um protesto na manhã desta quarta-feira (6), na sede da Polícia Federal (PF), no bairro Gutierrez, na região Oeste de Belo Horizonte. Ainda conforme a PF, os desvios teriam ocorrido por meio de pagamentos a fornecedores sem elo com o projeto e de bolsas de estágio e extensão. Trata-se de uma referência à música "O bêbado e a equilibrista" de João Bosco e Aldir Blanc, e considerada o 'hino dos anistiados'. Estava prevista também a contrução de dois prédios anexos e uma praça de convivência. Na nota, a PF informa haver a expectativa de que o montante desviado seja ainda maior, a partir das análises que serão feitas nos materiais apreendidos e dos interrogatórios a serem feitos com os suspeitos de envolvimento no caso. Uma coletiva de imprensa acontecerá às 10h para mais esclarecimentos sobre o caso.

Artigos relacionados