O estranho asteroide 'caveira' que vai passar perto da Terra

O estranho asteroide 'caveira' que vai passar perto da Terra

Vários astrônomos estão convencidos de que seu seguinte encontro com a Terra ocorrerá em novembro de 2018.

O corpo celeste 2015 TB145, conhecido como 'Asteroide do Halloween', deve passar perto da Terra em 2015.

Como se encontrava apenas à distância de 486 mil quilómetros aproximadamente, o equivalente a, mais ou menos, 1,3 vezes a distância da Lua à Terra.

Como coincidiu com a comemoração do Dia das Bruxas em alguns países, e devido ao ser aspeto ser semelhante ao de uma caveira, houve quem o batizasse de "Asteroide do Halloween". Por isso, os cientistas o apelidaram de "Asteroide do Halloween".

Foi possível ser visto de forma mais clara por cientistas europeus, americanos e latino americanos. Em certos ângulos, é possível ver um crânio humano no formato do asteroide devido às suas crateras e relevos, além das condições de iluminação. Ganhou destaque na imprensa nacional e internacional nesta terça-feira (26/12), a notícia de que um asteroide de 700 metros está voando em direção ao nosso planeta.

"Apesar de a aproximação ser menos favorável, poderemos obter novos dados que podem ajudar a melhorar nossos conhecimentos sobre sua massa e outras massas similares que passam perto da Terra", declarou o astrônomo Pablo Santos-Sanz do Instituto de Astrofísica de Andaluzia.

Eles também descobriram o período de rotação do corpo celeste, o que seria a duração do seu "dia" - entre 2,94 horas e 4,78 horas, de acordo com a observação e os cálculos deles. Por enquanto, na longitude atual, o objeto interestelar reflete apenas entre 5% e 6% da luz do sol que o atinge, facilitando a comparação com uma caveira.

"Isso significa que é um asteróide muito escuro, só um pouco mais reflexivo que o carvão", disse Santos-Sanz em nota.

Até agora, acredita-se que o asteroide pode ser tratar de cometa extinto, que perdeu água e outros componentes voláteis após as voltas que deu ao redor do Sol.

Cometa e asteroide se diferenciam por seu tipo de órbita ao redor do Sol e por sua composição.

Artigos relacionados