Mário Centeno: "O objetivo é ganhar"

Mário Centeno:

A decisão sobre quem vai assumir a presidência do Eurogrupo vai ser tomada esta tarde. Um dos quatro candidatos terá de alcançar uma maioria simples, ou seja, pelo menos dez votos entre os 19 membros do Eurogrupo.

Percebendo o deslize, Dijsselbloem acrescentou: "Eu disse Mário Centeno?"

Enquanto Gramegna é membro dos Liberais e Ozola dos Verdes, Centeno e Kazimir são ambos socialistas - a família política com mais possibilidades de garantir o posto, face aos equilíbrios partidários sempre em jogo na atribuição de altos cargos europeus -, mas o ministro português foi "consagrado" como "o candidato" do Partido Socialista Europeu (PSE) na reunião que teve lugar em Lisboa entre sexta-feira e sábado, e parece reunir muitos mais apoios que o eslovaco.

Diplomatas da zona euro em Bruxelas afirmaram que não ficaram surpreendidos com o apoio da Alemanha a Mário Centeno.

Antes da reunião, também o ainda presidente do Eurgrupo falou da votação desta tarde, mas acabou por dizer mais do que devia.

O comissário europeu dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, defendeu à entrada para a reunião do Eurogrupo que o importante é que o presidente hoje eleito seja capaz de "marcar golos, seja ele Ronaldo, Messi, Griezmann ou Benzema".

O fórum de ministros das Finanças da zona euro elege hoje o seu novo presidente.

Jeoron Dijsselbloem teve esta segunda-feira de manhã um deslize em que admitiu que o substituto no cargo será o ministro das Finanças português, Mário Centeno, um dos quatro candidatos a seu sucessor.

Artigos relacionados