Irmãos Winklevoss se tornam os primeiros bilionários de bitcoin

Irmãos Winklevoss se tornam os primeiros bilionários de bitcoin

A tacada certeira começou em 2013 quando os irmãos Winklevoss compraram 1% da oferta total de bitcoins por US$ 11 milhões, usando parte da indenização de US$ 65 milhões que ganharam do dono da maior rede social do mundo.

Embora alguns observadores reivindiquem o título de "primeiros bilionários de Bitcoin" dado aos gêmeos Winklevoss, eles acreditam que os irmãos merecem créditos por manterem-se fiéis à moeda digital mesmo com sua trajetória volátil.

No início de 2017, a moeda virtual era vendida a US$ 1 mil, mas o valor cresceu exponencialmente desde então, devido ao forte crescimento de novos investidores na moeda virtual. "Os gêmeos Winklevoss não são os primeiros bilionários de Bitcoin". Nesta segunda-feira, 4, o preço da moeda virtual caiu para abaixo de US$ 11 mil, de acordo com a bolsa Bitstamp, uma das maiores do mundo. Na época, a criptomeda valia cerca de US$ 120. Esse aumento meteórico do bitcoin impulsionou o investimento dos irmãos Winklevoss para mais de US$ 1 bilhão, de acordo com The Telegraph.

Em entrevista à CNN, em 2015, Tyler Winklevoss falou do potencial de ganho da moeda virtual.

No domingo, os investimentos em bitcoins dos famosos irmãos gémeos Cameron e Tyler Winklevoss superaram o recorde de mil milhões de dólares - cerca de 843 milhões de euros.

Os gêmeos descrevem o bitcoin como um ativo melhor do que o ouro. Além disso, eles também são conhecidos por terem representado os Estados Unidos na canoagem nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008.

Artigos relacionados